Daily Calendar

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Diabetes

 
Especialistas apontam mitos e verdades sobre o diabetes
27/02/2009 - 15h21 (Laila Magesk - Da Redação Multimídia)
Como em diversas doenças, os mitos e verdades também cercam o diabetes - doença metabólica crônica decorrente de uma deficiência de insulina - hormônio produzido pelo pâncreas - que pode ter fator genético ou de obesidade e sedentarismo. A doença pode trazer disfunção e falência de órgãos como rins, olhos, nervos, coração e vasos sanguíneos. Por isso, conhecer bem o problema, praticar atividades físicas, ter uma alimentação saudável - livre de doces e massas - contribuem bastante. Confira os mitos e verdades apontados pelos especialistas.

MITO - Diabetes é contagioso.

VERDADE - O diabetes não pega. É preciso acabar com essa discriminação de que o diabético não pode ter emprego, gestar um filho e crescer normalmente. Temos exemplos de mães diabéticas que tem filhos com totalmente saudáveis.

MITO - Canela ajuda a controlar as taxas.

VERDADE - Não tem nenhum estudo científico comprovando isso. Há evidencias, observadas na prática clínica, que algumas plantas, como a pata de vaca e folha de insulina realmente ajudam a controlar e diminuiu a necessidade de insulina. Mas isso não quer dizer que o paciente deva parar de usar os medicamentos e a insulina. Existem alguns estudos em relação à canela, porém são estudos preliminares, que merecem mais esclarecimentos, para provar esse efeito satisfatório.

foto: Gildo Loyola/A Gazeta
Açúcar mascavo
MITO - Diabético pode consumir mel, açúcar mascavo e caldo de cana sem problemas.

VERDADE - Esses produtos são naturais, mas tem glicose e fazem subir a taxa. O diabético até pode consumir, mas ele deve estar compensado, ter noção de que não pode abusar e compensar com a insulina. Nós (médicos) só liberamos para diabéticos que compreendem esses cuidados.

MITO - A aplicação de insulina causa dependência química.

VERDADE - A aplicação de insulina não promove qualquer tipo de dependência química ou psíquica. O hormônio é importante para permitir a entrada de glicose na célula, tornando-se fonte de energia.

MITO - A ingestão do açúcar em excesso é o causador do diabetes

VERDADE - A ingestão do açúcar em excesso pode levar ao aumento de peso, o que poderia, por fim, ser o fator causador do aparecimento da hiperglicemia. A doença está relacionada ao aumento de peso e ao sedentarismo, aliados à carga genética. No caso do Diabetes Mellitus Tipo 2 e à auto- imunidade no Diabetes Mellitus Tipo1.

MITO - É possível deixar de aplicar insulina por meio da eliminação da ingestão de carboidratos.

VERDADE - Não, pois o próprio organismo produz glicose. O carboidrato eleva a glicemia com mais rapidez, por isso sua ingestão deve ser contada. No diabetes Tipo 1, é necessária a aplicação de insulina diariamente, já que o pâncreas não produz este hormônio. Portanto, mesmo que não coma carboidratos,precisará aplicar insulina. No caso do diabetes Tipo2, há uma dificuldade na ação
da insulina (resistência) associada à redução de sua produção no pâncreas. Assim, a pessoa com diabetes Tipo 2 pode vir a precisar de insulina em algum período do tratamento, mesmo que esteja controlando a ingestão de carboidratos.

MITO - Não é permitido ingerir bebidas alcoólicas

VERDADE - O consumo é permitido, mas com alguns cuidados: de forma moderada e sempre junto a uma refeição, pois o consumo isolado pode levar a hipoglicemia ou dificultar a recuperação de uma crise hipoglicêmica. Também é importante fazer a monitorização de glicemia antes e depois de tomar bebidas alcoólicas.

MITO - Quem tem diabetes deve fazer somente exercícios leves.

VERDADE - Todos os diabéticos devem ser estimulados a fazer atividades físicas, respeitando contra-indicações, se houver. De uma forma geral, os exercícios melhoram os níveis glicêmicos, diminuem as doses de medicamentos orais e da insulina.

MITO - Diabéticos que fazem uso de insulina sofrem de impotência sexual.

VERDADE - Embora a impotência seja uma complicação do diabetes, sua ocorrência não está ligada ao uso da insulina. Pelo contrário, a falta de tratamento adequado no controle da glicemia, colesterol e pressão arterial aceleram e aumentam a chance de seu aparecimento. Muitas vezes, introduzindo a insulina e controlando a glicemia, é possível melhorar o quadro de impotência sexual. Se o diabético está com a glicemia bem controlada, não sofre alteração de libido ou desejo sexual.

MITO - Diabetes tipo 1 é mais grave que o tipo 2.

VERDADE - Não existe uma relação de gravidade entre os dois tipos de diabetes. Na realidade, são situações diferentes, cada uma com suas características próprias, tendo em comum a presença da hiperglicemia.

VERDADE - Açúcar no sangue prejudica a memória. Para o diabético que apresenta hiperglicemia (aumento de açúcar no sangue) constantemente e não faz o tratamento correto, ele pode prejudicar a memória sim, pois esse aumento de açúcar pode causar alteração do fluxo sanguíneo para o cérebro.

VERDADE - Estresse ajuda a descompensar o paciente. Se a pessoa ficar nervosa a glicose sobe.

Fontes: professora e nutricionista funcional Patrícia Casagrande, endocrinologista e coordenadora do S.A.D Rachel Torres e área de treinamento e educação em diabetes da Medtronic.


* Leia também

26/02 - 15h21 - Valores de glicemia para o diagnóstico de diabetes

26/02 - 15h21 - Tratamentos se renovam, mas nem todos são eficientes

25/02 - 15h21 - Baixe e imprima o cartão da Sociedade Brasileira de Diabetes

25/02 - 15h21 - O glossário do diabetes: entenda a doença

25/02 - 15h21 - Diabética de apenas 13 anos dá lição de disciplina

20/02 - 15h21 - Aprenda receitas de doces variados e saborosos, só que sem açúcar

20/02 - 15h21 - Eles têm diabetes. E vivem muito bem

Nenhum comentário:

Postar um comentário