Daily Calendar

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

SAMU


(SAMU 192- Serviço de Atendimento Movel Urgencia)ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR MÓVEL



MINISTÉRIO DA SAÚDESECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDEDEPARTAMENTO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADACOORDENAÇÃO GERAL DE URGÊNCIA / EMERGÊNCIA












ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR MÓVEL
SUPORTE BÁSICO DE VIDA
(Lígia Soares - Consultora de CGUE/DAE/SAS/MS) - Outubro 2003

ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
NÍVEIS DE ATENÇÃO
Um dos níveis de resposta do serviço de APH, a um pedido de socorro urgente. O envio da ambulância de SBV é decisão do médico regulador. A equipe de suporte básico de vida é constituída por um auxiliar ou técnico de enfermagem e o condutor do veículo de socorro. Estima-se 01 ambulância SBV para cada 100/150.000 habitantes com localização descentralizada na região de abrangência do serviço.
COMPETÊNCIAS
Os profissionais de enfermagem da equipe de SBV estão habilitadas a realizar ações de suporte da vida, previstas na Lei do Exército Profissional admitindo-se que, sob delegação/supervisão direta ou à distância do enfermeiro e quando devidamente capacitados pelo NEU, executem prescrição médica por telemedicina, no âmbito de sua qualificação profissional.
A EQUIPE DE SBV DEVE SER CAPAZ DE:
* Reconhecer sinais precoces de disfunção respiratória
* Aferir FC, PA, P, T, glicemia e saturação de O2
* Iniciar medidas de manutenção da vida
* Manejar equipamentos de suporte ventilatório
* Realizar prescrição médica sob supervisão do enfermeiro, dominar técnicas de administração de medicamentos
* Reconhecer sinais precoces de doenças circulatórias agudas
* Realizar monitorização cardíaca e eletrocardiográfica
* Ser capaz de avaliar o politraumatizado grave
* Estar habilitado a auxiliar o trabalho de parto normal
* Reconhecer e manejar adequadamente o TCE, TRM, queimados, traumas na gestante e na criança, entre outros traumas
* Ter conhecimento e habilidade para realizar ações de salvamento aquático, terrestre e em altura, com produtos perigosos.
AMBULÂNCIA DE SUPORTE BÁSICO
Veículo destinado ao transporte inter-hospitalar de pacientes com risco de vida conhecido e ao atendimento pré-hospitalar de pacientes com risco de vida desconhecido que, no entanto, não apresente potencial necessidade de intervenção médica no local ou durante o transporte.

AMBULÂNCIA DE SUPORTE BÁSICO
EQUIPAMENTOS E MATERIAIS:
* Sinalizador óptico e acústico
* Equipamento de rádio-comunicação fixo e móvel
* Maca articulada e com rodas
* Suporte para soro
* Instalação de rede de oxigênio com cilindro
* Válvula, manômetro em local de fácil visualização e régua com dupla saída
* Oxigênio com régua tripla
* Alimentação do respirador
* Fluxômetro e umidificador de oxigênio e aspirador tipo Venturi
* Maleta de parto contendo: luvas cirúrgicas, clamps umbilicais, estilete estéril para corte do cordão, saco plástico para placenta, cobertor, compressas cirúrgicas e gazes estéreis, braceletes de identificação, suporte para soro
* Prancha curta e longa para imobilização de coluna
* Talas para imobilização de membros e conjunto de colares cervicais
* Colete imobilizador dorsal
* Frascos de soro fisiológico e ringer de lactato
* Bandagens triangulares
* Coletes refletivos para a tripulação
* Lanterna de mão
* Óculos
* Máscaras e aventais de proteção
* Maletas com medicações a serem definidas em protocolos, pelos serviços
* Manômetro e fluxômetro com máscara e chicote para oxigenação
* Cilindro de oxigênio portátil com válvula
* Maleta de urgência contendo: estetoscópio adulto e infantil, ressuscitador manual adulto/infantil, cânulas orofaríngeas de tamanhos variados, luvas descartáveis, tesoura reta com ponta romba, esparadrapo, ataduras de 15cm, compressas cirúrgicas estéreis, pacotes de gaze estéril, protetores para queimados ou eviscerados, cateteres para oxigenação e aspiração de vários tamanhos
* Maleta de parto contendo: luvas cirúrgicas, clamps umbilicais, estilete estéril para corte de cordão, saco plástico para placenta, cobertor, compressas cirúrgicas e gazes estéreis, braceletes de identificação, suporte para soro
* Prancha curta e longa para imobilização de coluna
* Talas para imobilização de membros e conjunto de colares cervicais
* Colete imobilizador dorsal
* Frascos de soro fisiológico e ringer lactato
* Bandagens triangulares
* Coletes refletivos para a tripulação
* Lanterna de mão
* Óculos
* Máscaras e aventais de proteção
* Maletas com medicações a serem definidas em protocolos pelos serviços
OS EQUIPAMENTOS DAS VIATURAS DEVEM OBEDECER A ALGUNS CRITÉRIOS BÁSICOS:
* Leves e portáteis permitindo uso contínuo mesmo em situações adversas
* Auto suficientes, com baterias recarregáveis por duas vezes o tempo estimado para o atendimento/transporte
* De fácil montagem e manuseio
* Resistentes
*De fácil limpeza e manutenção
* Não devem interferir com instrumentos de navegação se for o caso
FASE DO ATENDIMENTO DE SBV
* Recebimento, identificação e localização do pedido de socorro pelo TARM
* Avaliação pelo médico regulador do risco do evento
* Decisão de enviar uma equipe de suporte básico de vida ao local
FASES DO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR MÓVEL - SAMU - VSBO
ATENDIMENTO NO LOCAL:
Realizar a avaliação inicial do paciente, reportar via rádio ao médico regulador.A equipe de suporte básico deve repassar via rádio para o regulador todas as informações obtidas, para subsidiar a decisão médica sobre intervenções possíveis de serem realizadas para esterilização e indicação do serviço de saúde mais adequado à resolução do problema seguindo a grade hierarquizada e regionalizada.
FASES DO ATENDIMENTO DO SBV
Transporte ao serviço de saúde indicado pelo médico reguladorPassagem do caso à equipe do serviço receptorEncerramento do caso junto à Central-SAMU Se você quiser saber sobre Ambulância e Veículos Especiais, clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário